Equipe do Banco Mundial visita projeto produtivo em Venturosa

A equipe do Banco Mundial, em Missão de Acompanhamento no ProRural, visitou na tarde dessa quarta-feira (03), no município de Venturosa, a Associação dos Pequenos Produtores do Sítio Pedra Fisch. O objetivo do encontro foi conhecer os resultados de um projeto financiado pelo Governo de Pernambuco, através do Projeto Pernambuco Rural Sustentável (PRS) e os benefícios trazidos para a comunidade.

As 36 famílias de agricultores beneficiados pelo projeto de compra de um trator e implementos agrícolas, entregues em 2016, puderam contar para os técnicos como a vida da comunidade melhorou a partir da chegada do investimento, como eles se mantêm organizados para a utilização dos equipamentos e como a qualidade de vida de cada um associado mudou a partir do incremento da produção, que só foi possível com o uso do trator.

Para a coordenadora do PRS no Banco Mundial, Fátima Amazonas, as visitas de acompanhamento são necessárias para verificar a eficácia dos investimentos financiados. “A cada seis meses visitamos alguns projetos para conhecer de perto cada realidade e ter certeza de que a interferência do Banco Mundial foi determinante para a melhoria da qualidade de vida dos beneficiários”.

Segundo a diretora de Programas e Projetos do ProRural, Renata Kosminsky, o objetivo do PRS é potencializar ainda mais os benefícios dos investimentos realizados através da prestação do serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater). “O trabalho de Ater ajudará os beneficiários a otimizar a gestão dos equipamentos e da própria organização comunitária, inserindo ferramentas de gestão financeira e de planejamento dos objetivos futuros. O Ater também fomentará o acesso a novos mercados e o crescimento da associação”.

Para o presidente a associação, Paulo Macedo, a produção de alimento para o gado leiteiro na região mais que dobrou depois da aquisição do trator. “Quem conseguia plantar dois hectares agora planta cinco ou seis. Nosso custo ficou menor, o tempo de espera para plantar na época das chuvas diminuiu e a qualidade da lavoura melhorou, porque podemos também levar o esterco até o roçado, o que antes não conseguíamos”, lembrou