Missão do Banco Mundial visita comunidades atendidas pelo ProRural

A missão de supervisão do Banco Mundial, que esteve no Recife esta semana, para conhecer e acompanhar projetos que estão sendo executados pelo ProRural,  visitou, por dois dias, obras de infraestrutura e de inclusão produtiva na Zona a Mata Norte, Agreste e Sertão de Pernambuco.  Gestores e técnicos das duas instituições foram ao campo para verificar as obras e ouvir as comunidades.


Na última quarta-feira (24), a comitiva reuniu-se pela manhã com produtores agroecológicos da Associação Ama Terra em Gravatá. Na localidade, os técnicos conheceram as expectativas dos beneficiários que vão receber do Governo de Pernambuco uma unidade de beneficiamento para a produção de produtos como pães, bolos e pastéis, entre outros. Os agricultores familiares já produzem folhosas, raízes, feijão, milho e frutas, mas esperam melhorar o plantio e diversificar a produção com o investimento de R$ 463.202,35 financiado pelo Governo de Pernambuco, através da Secretaria de Agricultura e Reforma agrária (SARA) / ProRural.

Durante a tarde, a Missão seguiu para o município de João Alfredo, para visita às obras de mais de 1.000 metros de pavimentação, drenagem e sinalização dos acessos às comunidades localizadas nos altos da Serra Verde, Sororoca, Lagoa Funda e Pedra do Boi, um investimento de aproximadamente R$ 450 mil. No encontro, os moradores falaram de como a obra vai mudar a vida na região, e facilitar o acesso das pessoas e o escoamento da produção.

No segundo dia de visitas em campo, os técnicos se dividiram para conhecer a Coodapis, cooperativa beneficiada com entreposto de mel no município de Tabira e os sistemas de abastecimento da Associação dos Moradores do Sítio Malhada Branca, em Buíque, e da Associação dos Pequenos Produtores do Assentamento Sol Nascente, no município de Bonito, que utiliza energia solar vai trabalhar em benefício das 22 famílias da região.

Segundo o diretor geral do ProRural, Fábio Fiorenzano, que acompanhou todas as visitas às associações e cooperativas, o trabalho em equipe ProRural e Banco Mundial são de grande importância para o Programa, assim como para os beneficiários. “A troca de conhecimentos é sempre enriquecedor para os projetos e trazem sempre mais qualidade para as obras executadas, consequentemente mais benefícios para os agricultores familiares de Pernambuco”, lembrou.