ProRural firma convênio para fomentar piscicultura em Quipapá

O ProRural assinou, na tarde dessa quarta-feira (05), um convênio com os agricultores do Assentamento Água Branca, para a instalação de um projeto de piscicultura no município de Quipapá, na Zona da Mata Sul do Estado. O investimento de aproximadamente R$ 300 mil tem potencial para mudar a econômica da região, com o aproveitamento de todo o potencial hídrico da cidade.

Com o mesmo modelo implantado pelo ProRural no Sertão de Itaparica, onde a piscicultura já representa uma atividade lucrativa e geradora de trabalho e renda para centenas de pessoas, o projeto de Quipapá beneficiará diretamente 12 associados, mas garantirá melhoria na qualidade de vida de cerca de 180 agricultores familiares e suas famílias, fornecedores e comerciantes. O Projeto da piscicultura, piloto na região, contempla a aquisição de tanques-rede, apetrechos, alevinos, ração para o primeiro ciclo de produção, entre outros.

O investimento que será financiado pelo Governo de Pernambuco, através do ProRural, com verba do Banco Mundial, garante aos agricultores a produção de até 10 toneladas de tilápia por mês. O pescado, que proporciona melhor custo/benefício para a piscicultura em tanques-rede, será cultivado nos cerca de 350 mil metros cúbicos de água, em sete hectares de espelho de água disponíveis em um dos açudes do assentamento.

Para o diretor Geral do ProRural, Fábio Fiorenzano, a piscicultura já provou que pode mudar a realidade de uma região, desde que esta seja rica em recursos hídricos como é o caso da Mata Sul. “A atividade da tilapicultura tem poder transformador para muitas comunidades onde não há grandes oportunidades de trabalho e renda. Esse é um investimento de grande potencial, pois integrará a rede de piscicultura do Sertão de Itaparica e utilizará as estruturas e benefícios da Unidade de Beneficiamento de Petrolândia. Além disso, os técnicos do Programa estarão presentes em cada etapa da implantação, para dar ainda mais garantia ao negócio”, enfatiza Fábio.

O presidente da Associação dos Piscicultores de Vista Alegre e Coordenador do Grupo Territorial de Governança (GTG) da Piscicultura na Zona da Mata Sul, Henrique César Santos, lembrou que a caminhada de busca e aprendizado que o grupo fez desde o início do processo não foi fácil, mas também não foi em vão, pois com luta e perseverança a conquista foi possível. “Não podemos esquecer a importância de todos os parceiros que acreditaram na nossa ideia. Para nós, isso aumenta nossa responsabilidade para que tudo dê certo”, diz Henrique.